quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Plutão possui gelo de água e um céu azul

No começo da semana a NASA anunciou que hoje, quinta (dia 8) faria um anúncio importante sobre Plutão. O anúncio, na verdade duas descobertas, são de que o céu em Plutão é azul, assim como aqui na Terra; e que o planetóide possui gelo feito de água em sua superfície.
Embora pareçam descobertas irrelevantes, elas apresentam um novo panorama sobre o astro. Abaixo a tradução da nota oficial da NASA:

As primeiras imagens coloridas de neblinas na atmosfera de Plutão, feitos semana pela sonda New Horizons da NASA, revelam que as neblinas são azuis.
"Quem poderia esperar um céu azul no Cinturão de Kuiper? É lindo ", disse Alan Stern, investigador principal do Instituto Southwest Research (SwRI), Boulder, Colorado. Plutão é um planeta-anão, situado numa região pós-netuniana chamada Cinturão de Kuiper.

As partículas da neblina são provavelmente cinza ou vermelha, mas a maneira como elas dispersam a luz azul chamou a atenção da equipe de ciência da New Horizons. "A impressionante tonalidade azul nos fala sobre o tamanho e a composição das partículas de neblina", disse o pesquisador Carly Howett, também do SwRI. "Um céu azul muitas vezes resulta da dispersão da luz solar por partículas muito pequenas. Na Terra, essas partículas são pequenas moléculas de nitrogênio. Em Plutão elas parecem ser maiores - mas ainda são relativamente pequenas - partículas de fuligem chamadas de tholins". Os cientistas acreditam que as partículas de tholin são formadas na alta atmosfera de Plutão, onde a luz ultravioleta do Sol se rompe e ioniza as moléculas de nitrogênio e metano, permitindo-lhes reagir umas com as outras para formar íons mais complexos, positivos ou negativos.
Quando elas se recombinam, elas formam macromoléculas muito complexas, um processo que foi encontrado pela primeira vez na alta atmosfera da lua Titã, de Saturno. As moléculas mais complexas continuar a se combinar e crescer até que se tornem pequenas partículas; gases voláteis se condensam e revestem suas superfícies com gelo antes que elas tenham tempo de sair da atmosfera para chegar a superfície, onde elas adicionam a coloração vermelha para Plutão.

Uma segunda constatação significativa, a New Horizons detectou inúmeras pequenas regiões de gelo de água em Plutão. A descoberta foi feita a partir de dados coletados por um equipamento da sonda chamado Ralph, que estuda a composição espectral. 
"Grandes extensões de Plutão não apresentam água congelada na superfície", disse Jason Cook, "porque elas são aparentemente mascaradas por outros tipos de gelos, mais voláteis em quase todo o planeta. Entender por que a água aparece exatamente onde ela se faz, e não em outros lugares, é um desafio que estamos nos aprofundando."
A imagem possui cerca de 450 km e é composta por imagens no visível e em infravermelho