quinta-feira, 24 de maio de 2012

1ª cápsula privada decola rumo a Estação Espacial.

Após uma série de adiamentos o novo cargueiro americano Dragon foi finalmente lançado ao espaço. A ignição dos propulsores ocorreu no horário previsto a partir da base de Cabo Canaveral, na Flórida e marcou o início de uma nova fase no transporte de cargas orbitais, com a participação de empresas privadas nas operações de logística espacial.





O lançamento ocorreu exatamente as 04h44 BRT, três dias após uma tentativa ser abortada automaticamente depois que um dos sensores detectou um aumento excessivo na pressão de um tanque de pressurização de um dos nove propulsores Merlin do primeiro estágio do foguete Falcon 9.
O objetivo do lançamento é levar o cargueiro Dragon até a Estação Espacial Internacional, ISS, e avaliar a capacidade da cápsula em realizar as manobras de precisão ao redor do complexo orbital. Após as avaliações, se todas as etapas forem bem sucedidas a Dragon se acoplará à ISS com ajuda do braço robótico da Estação.
Esse é o primeiro voo a Dragon. O artefato está carregado com cerca de 600 quilos de suprimentos para os tripulantes da ISS, além de experimentos projetados por estudantes. Quando entrar definitivamente em operação a Dragon poderá transportar até 5 mil quilos de material, incluindo seis astronautas.
O lançamento dessa semana colocou a Dragon em uma orbita que prevê o encontro com a ISS em três dias. Durante as manobras, uma série de testes de sistema e navegação será realizada. Ao término, a cápsula receberá o sinal verde para atracamento, que será feito no ponto de conexão previsto no módulo Harmony, anexado à ISS. 


Os testes incluem uma cuidadosa aproximação e por diversas vezes a Dragon será pausada no espaço a poucos metros da estação. Durante o procedimento, a tripulação da ISS fará contatos com o computador de bordo da nave e confirmará a capacidade de assumir o controle sobre o cargueiro. Uma vez acoplada, a nave será aberta e terá sua carga retirada manualmente pela tripulação.
A Dragon permanecerá atracada à ISS por três semanas e antes de partir será carregada com equipamentos científicos usados que deverão retornar à Terra. O desacoplamento será feito de modo reverso ao da acoplagem, com o braço robótico movendo a cápsula para a posição de retorno. Em seguida, os propulsores serão acionados e a Dragon seguirá em direção à Terra, onde descerá de paraquedas até o oceano Pacífico na altura da Califórnia.
Toda a operação da Dragon está sendo transmitida ao vivo e pode ser acompanhada pelo ApoloChannel , que retransmite a NASA-TV. Durante a fase de acoplamento, um chat estará disponível para que os usuários conversem sobre a operação. 


Fonte:
Apolo11
Veja
Astronomy Magazine

Nenhum comentário:

Postar um comentário