domingo, 27 de setembro de 2015

É HOJE: tudo que precisa saber sobre o Eclipse total da Lua + SuperLua

Aclamado por muitos como o maior fenômeno astronômico do ano, finalmente o tão aguardado 27 de setembro chegou. E com ele, todo o país poderá ver um evento raro: um eclipse total da Lua na mesma época em que o nosso satélite natural está no ponto mais perto da Terra. A próxima vez que isso ocorrerá, sendo visível aqui do Brasil, será só no longínquo 2069.
Como apareceram muitas nomenclaturas para esse evento de hoje, e como existiu muita informação errada ou incompleta, resolvi separar esse artigo em partes, para ficar mais rápido o entendimento e o acesso às informações.

Mas antes queria ressaltar a raridade do evento de hoje e informar alguns erros que a mídia vem cometendo sobre isso. O próximo eclipse total da Lua vai ser visível aqui no Brasil e será no dia 21 de janeiro de 2019. Porém, o próximo eclipse total da Lua com uma SuperLua só acontecerá em 8 de outubro de 2033 e não será visível aqui do país, consertando o erro que muitos jornais cometeram compartilhando dados e vídeos da NASA. O vídeo foi feito pela agência americana, e informa o próximo eclipse desse tipo visto lá dos EUA. O próximo Eclipse Lunar Total com a Super Lua visível aqui do Brasil só será na noite de 29 para 30 de outubro de 2069, daqui a 54 anos!

Abaixo apresento todos os dados sobre o fenômeno que acontece hoje, as explicações para os termos SuperLua, Lua Sangrenta e para as conspirações que dizem que esse eclipse será o início de uma época de terror no planeta.
Também explico o que é um eclipse e conto o papel da Lua na mitologia grega, lembrando o quanto esse astro inspirou os visionários do passado, poetas e enamorados.




 - O Eclipse Total do dia 27 de setembro: dados e informações
O fenômeno será visível em todo o Brasil, América do Sul, leste dos Estados Unidos e oeste europeu. Os horários de cada parte do eclipse é vista abaixo, lembrando que o fenômeno começa no domingo a noite e termina na segunda de madrugada:

- 21h11min – A Lua entra na penumbra (não é possível observar mudanças significativas na luminosidade da Lua).
- 22h7min – A Lua começa a entrar na sombra da Terra (momento de início da parte visível do eclipse)
- 23h11minInício do Eclipse Total da Lua (a Lua estará totalmente imersa na sombra da Terra).
- 0h23min – Término do Eclipse Total da Lua.
- 1h27min – A Lua sai totalmente da sombra da Terra.
- 2h22min – A Lua sai da penumbra da Terra.

Se na sua cidade o céu estiver nublado e não conseguir ver o eclipse, assista online AQUI. Praticamente toda cidade vai ter uma atividade pública de observação do fenômeno, procure o clube de astronomia da sua cidade. Aqui em Campos dos Goytacazes - RJ, o Clube de Astronomia Louis Cruls estará na Praça São Salvador a partir das 22h,

O eclipse lunar ocorre durante a Lua Cheia, e é caracterizado pela passagem da Lua na sombra da Terra. O eclipse solar ocorre durante a Lua Nova, e é caracterizado pela passagem da Lua na frente do Sol. Podem ocorrer de dois a sete eclipses por ano. Se o plano da órbita da Lua em torno da Terra, coincidisse com plano da órbita da Terra em torno do Sol (eclíptica), teríamos eclipses a cada Lua Nova ou a cada Lua Cheia. Porém o plano da órbita da Lua está inclinado aproximadamente cinco graus em relação a eclíptica. Assim somente quando a Lua cruza, durante a Lua Nova ou a Lua Cheia, o plano da órbita da Terra em relação ao Sol é que pode ocorrer um eclipse.


A coloração vermelha da Lua deve-se a dispersão dos raios de Sol na atmosfera terrestre. Como a Lua entra no cone de sombra da Terra, ela recebe a luz solar que passa pela nossa atmosfera. Ao atingir a atmosfera terrestre, esta absorve e refrata alguns comprimentos de ondas. A cor é relacionada com o comprimento de onda, assim a nossa atmosfera absorve mais comprimentos de onda referentes a cor azul (o que explica a cor do nosso céu de dia) e refrata o vermelho. Assim, essa luz vermelha atinge a Lua.
Existe uma classificação quanto ao brilho dos eclipses, chamada Escala Danjor. A coloração dos eclipses varia porque a absorção dos comprimentos de onda pela atmosfera não é sempre igual. Se, por exemplo, um vulcão jogar partículas em suspensão na atmosfera na mesma época que um eclipse, essas partículas impedirão até a luz vermelha de ser refratada pela atmosfera, assim esses eclipses são mais escuros. Quanto "mais limpa" for a atmosfera terrestre perto do eclipse, mais vermelha (ou mais cor de cobre, mais precisamente) a Lua ficará. Espera-se que o eclipse de hoje seja muito avermelhado, atingindo a maior pontuação na Escala Danjor.
Na imagem, concepção de como um astronauta na Lua veria um eclipse lunar (que para ele seria um eclipse terrestre), é possível ver a refração dos raios de luz na atmosfera tomando uma cor vermelha. Veja o vídeo.


 - O que é SuperLua
A primeira coisa que tem que ser dita quando falamos sobre SuperLua é que esse termo não tem origem astronômica, pelo contrário, veio da moderna astrologia! O nome "SuperMoon" foi criado pelo astrólogo Richard Nolle em 1979, e foi definido arbitrariamente assim: "uma lua nova ou lua cheia que ocorre com a Lua dentro de 90% de sua maior aproximação à Terra em sua órbita."
Na astronomia, o termo usado para o ponto da órbita lunar mais próximo da Terra chama-se perigeu e a ocorrência disso é devido ao fato de que as órbitas dos corpos celestes são elipses e não círculos perfeitos. Elipses tem o ponto mais próximo do centro (perigeu) e o mais distante (apogeu).
Como podemos deduzir, esse evento não é raro, o próprio astrólogo criou uma tabela com as datas das próximas ocorrências. Porém, há alguns anos esse termo fez sucesso na internet e somos bombardeados com isso frequentemente.
Quanto a observação da Lua, quando a Lua cheia coincide com o perigeu lunar (a tal da SuperLua), o eu brilho lunar fica 30% maior e o tamanho aparente cresce cerca de 14%. Pode parecer muito, mas não é nada comparado aos alardes que se criam nessas datas.

O perigo de se usar esse termo sem explicar é que ele traz consigo teorias da conspiração. Richard Nolle, autor do termo, acredita que esse fenômeno é responsável por tragédias, terremotos e maremotos. Isso não é verdade! A Lua cheia tem sim efeitos sobre o mar, as marés, e a ocorrência conjunta do perigeu lunar agrava isso, mas não cria tragédias, apenas marés mais fortes (cerca de 15 cm de diferença).

 - Lua Sangrenta ou Lua de Sangue: fim do mundo e um best-seller
A moderna popularização desse termo deve-se ao pastor americano John Hagee, que criou esse termo em 2013 e é o autor do livro Four Blood Moons: Something is About to Change que virou best-seller lá nos Estados Unidos, no qual ele interpreta a passagem bíblica de Joel 2:31 (O Sol se tornará escuro, e a Lua sangrenta antes do grande e terrível dia que o Senhor virá) e diz que após quatro eclipses lunares, a Lua terá colocação vermelha para anunciar o fim do mundo.
A ocorrência de quatro eclipses lunares seguidos tem um nome na astronomia. Chama-se Tétrade Lunar, e tem a seguinte definição: a ocorrência de 4 eclipses totais da Lua de forma sucessiva, sem nenhum eclipse parcial entre eles e que todos eles sejam separados por seis meses lunares, ou seja, seis Luas Cheias.
Mas nesse século teremos 8 Tétrades Lunares, o que prova sua ocorrência periódica (a última Tétrade foi em 2003-2004 e a próxima 2032-2033 não tendo nenhum dos eclipses visíveis aqui no Brasil). A nível de curiosidade, para John Hagree, o que torna a Tétrade Lunar 2014-2015 especial e profética é a ocorrência de luas cheias perto de duas datas sagradas para os judeus: a Páscoa e o tabernáculo. Porém, novamente ocorre um erro. Desses quatro eclipses, apenas o de hoje será visto em Israel. Por isso, reafirmo o perigo do uso desses termos, que tem no público um caráter apocalíptico.
Existe uma outra explicação mais antiga para o termo "Lua de Sangue". No hemisfério norte, todas as luas cheia recebem um nome especial. E algumas dessas luas cheias do outono são chamadas de Lua do Caçador ou de Lua de Sangue, por acontecerem no período de caça, segundo a qual a lenda conta que o sangue dos animais mortos manchava a lua de sangue. Essa é a Lua Cheia que acontece logo depois da Lua da Colheita (Lua Cheia que acontece no ponto mais próximo do equinócio de outono deles).

Na imagem, mapa da Lua, com informações para acompanhar o progresso da sombra sob o satélite natural. Pode-se ver características do relevo e o local de pouso das missões Apollo.

 - Determinação da distância Terra-Lua no momento do eclipse
Os eclipses são momentos perfeitos para criar ou recriar experimentos feitos há séculos atrás e que trouxeram algum avanço na compreensão do Universo. Um deles é descobrir, com relativa precisão, a distância Terra-Lua.
Para quem quer desenvolver esse projeto, simples e fácil, deixo o arquivo para leitura AQUI

 - A Lua na mitologia grega
Selene, a deusa da Lua, para os gregos. Na mitologia grega ela se apaixonou por Endymion, um mortal. Preocupada com o fato de que ele envelheceria e viria um dia a morrer, quis mantê-lo sempre jovem. Solicitou a Zeus que mantivesse Endymion sempre jovem. Assim ele fez com que o jovem dormisse para sempre, de modo que nunca morresse, mantendo sempre a mesma bela aparência. Toda noite Endymion recebia a visita de Selene e recebia o seu carinho através de seus raios de luminosos. Dessa forma se imagina que os raios luminosos de Selene sempre caem sobre os seres humanos enquanto estão dormindo, despertando paixões. Luna, para os romanos.

Escrito por Otávio J. Ângelo - Blog Da Terra Para As Estrelas

Fonte:Wikipédia
O Diário (21 de setembro)
O que ver no céu - astronomia
Space Today

2 comentários:

  1. Olá, blog excelente! Sou Gabriel Asafe, músico, compositor, autor do Hino da Federal do Maranhão. Gostaria firmar parceria, sugerindo a canção Janelas da Alma para ser tema de algumas de suas postagens sobre astronomia, eclipses, planetas, estrelas, etc. Sei que às vezes temos problemas ao anexarmos músicas protegidas e exclusivas de direitos autorais, mas você tem aqui a liberação aqui do próprio autor para executar e “linkar” essa canção e/ou outras do youtube que achar interessante. Sempre trabalho com diversos temas, com uma abordagem literária e intelectual mais elaborada e na simplicidade do blues, rock ou da boa MPB. Desde já é um prazer. Desejo um ótimo trabalho e muito sucesso para todos nós!!
    https://www.youtube.com/watch?v=kwpQclis6_A

    ResponderExcluir