sábado, 8 de junho de 2013

E se a Apollo 11 falhasse? Veja o discurso e os procedimentos.

"Felizmente, nunca precisou ser lido"

Atualização: Fomos convidados para ser colaboradores da página Universo Racionalista, uma das maiores páginas de divulgação científica do Brasil. Então, esse artigo foi republicado lá. Mas continue acompanhando o nosso blog, os artigos serão postados primeiramente aqui, e nem todos irão para o UR.

O maior feito da humanidade foi conduzido por 3 pessoas e acompanhado por meio bilhão de pessoas. Eles foram até a Lua e voltaram, são e salvos, na missão Apollo 11, em 20 de julho de 1969.
Numa época em que o mundo estava bipolarizado entre as potencias Estados Unidos e União Soviética, e que brigavam por cada feito na área espacial (na chamada Corrida Espacial), qualquer erro poderia ser desastroso, principalmente para os Estados Unidos, que já estavam perdendo essa Corrida fazia tempo...

Para cumprir a promessa do presidente Kennedy, no histórico discurso de 25 de maio de 1961, no qual ele promete ao mundo que americanos iriam à Lua e que voltariam em segurança, os Estados Unidos comprometeram boa parte de seu PIB (o custo total do projeto Apollo é de 19,4 bilhões de dólares, em valores de 1972) e de seus melhores engenheiros e técnicos.

Mas, e se a Apollo 11 falhasse e os astronautas ficassem na Lua?

Como todo projeto bem pensado, as falhas também estavam de certa forma 'planejadas'. A prova disso é que, no Arquivo Nacional dos Estados Unidos está o documento que o presidente Nixon iria ler caso os dois astronautas não conseguissem sair da Lua. Os astronautas também levaram consigo um frasco com cianureto de macarrão, para abreviar a morte.
Escrito dois dias antes do pouso na Lua, pelo jornalista William Safire, responsável pelos discursos do presidente Nixon, ele deveria ser entregue ao secretário de Estado Harry Robbins Haldeman, que por sua vez entregaria ao presidente.

Chamado de "Em Caso de Desastre Na Lua" e revelado no dia 9 de julho de 1999, o discurso nunca foi lido e era seguido de uma oração. Como está escrito no Arquivo Nacional "felizmente, nunca precisou ser utilizado". Os astronautas seriam deixados na Lua, sem comunicação e receberiam bençãos de líderes religiosos. O discurso, na íntegra, pode ser lido abaixo, e é de emocionar:


“EM CASO DE DESASTRE NA LUA:

O destino ordenou que os homens que foram à Lua para explorar em paz vão ficar na Lua para descansar em paz.

Esses bravos homens, Neil Armstrong and Edwin Aldrin, sabem que não há esperança de recuperação. Mas eles também sabem que há esperança para a humanidade em seu sacrifício.

Estes dois homens estão entregando suas vidas para o objetivo mais nobre da humanidade: a busca pela verdade e compreensão.

Eles serão velados por seus familiares e amigos; eles serão velados pela nação; eles serão velados pelas pessoas ao redor do mundo; eles serão velados pela Mãe Terra que ousou enviar dois de seus filhos para o desconhecido.

Em sua exploração, eles mobilizaram pessoas do mundo inteiro a se sentirem como uma só; com seu sacrifício, eles ligam mais fortemente a irmandade dos homens.

Em tempos passados, homens olharam para as estrelas e viram seus heróis nas constelações. Nos tempos modernos, nós fazemos basicamente o mesmo, mas nossos heróis são homens épicos de carne e osso.

Outros os seguirão, e certamente encontrarão o caminho de casa. A busca do homem não será negada. Mas estes homens foram os primeiros, e eles permanecerão como primeiros em nossos corações.

Cada ser humano que olhar para a Lua nas noites que virão saberá que existe um canto de outro mundo que é para sempre da humanidade.

ANTES DA DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE:

O Presidente deve telefonar para cada uma das futuras viúvas.

DEPOIS DA DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE, NO MOMENTO EM QUE A NASA ENCERRA A COMUNICAÇÃO COM OS HOMENS:

Um clérigo deve adotar o mesmo procedimento que em um enterro no mar, recomendando suas almas para a “mais profunda das profundezas”, encerrando com o Pai Nosso.”

Acompanhe nossa página no Facebook

Fonte: 

Um comentário:

  1. O "cianureto de macarrão" é puro mito. Nenhum astronauta carregava pílulas para suicídio, visto que bastaria remover o ar da roupa ou da cabine, como foi dito pelo astronauta Jim Lovell (Apollo 13), fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Suicide_pill

    ResponderExcluir