segunda-feira, 11 de maio de 2015

O tecido quântico do espaço-tempo

Em uma série de três artigos, a Quanta Magazine publicou sobre os estudos de maior impacto científico para explicar uma nova concepção que correlaciona a Teoria da Relatividade Geral, publicada em 1915 pelo físico alemão Albert Einstein (1879 - 1955), com descrições importantes da Física Quântica, revelando o complexo modelo existencial do espaço-tempo.

Teoria Geral da Relatividade pode ser modestamente compreendida como uma paisagem do espaço-tempo deformado nas pinturas do artista espanhol Salvador Dalí (1904 - 1989), sendo ininterrupta e geométrica, porém as partículas quânticas que ocupam esse espaço assemelham-se à arte do pintor francês Georges Seurat (1859 - 1891), sendo pontilhada e discreta. Fundamentalmente, partindo desta analogia, as duas descrições discordam em aspectos importantes, a partir de então, uma nova concepção bastante ousada sugere que as correlações quânticas entre "manchas de pintura surrealistas" também criam o espaço tridimensional sobre "uma série de pontos".

Apresentação interativa: tecido do espaço-tempo, feita por Owen Cornec.
Ao relacionar o paradoxo EPR (nomeado conforme seus autores, Albert Einstein, Boris Podolsky e Nathan Rosen) que Einstein denominou de "ação fantasmagórica à distância" entre as partículas quânticas (entrelaçamento quântico) com a explicação da conexão de dois buracos negros nos confins do espaço através da "Ponte de Einstein-Rosen" (popularmente conhecida como "Buraco de Minhoca"), notou-se que são duas manifestações de pensamento sobre um mesmo ideal, sendo justamente essa conexão responsável pela formação da base de todo o espaço-tempo.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Aberta oportunidade de nomeação OFICIAL de estrelas e planetas

Foram pessoas que nomearam os objetos celestes por milênios. Porém atualmente é a União Astronômica Internacional (IAU, em inglês) que tem a tarefa de atribuir nomes reconhecidos cientificamente para os recém descobertos corpos celestes, por seus países membros. O concurso “NameExoWorlds” fornece não apenas a 1ª oportunidade para o publico nomear planetas fora do Sistema Solar (chamados de exoplanetas), mas também pela primeira vez em séculos, a dar nomes populares a algumas estrelas - aquelas das quais se tem descoberto exoplanetas em suas órbitas. Já abordamos a questão de nomear e "comprar" uma estrelas aqui no blog, leia aqui.


Alguns desses sistemas são de um único planeta (sistema simples), enquanto outros são sistemas com vários planetas (sistemas múltiplos). Cada organização pode submeter um nome proposto, para um exoplaneta apenas. O número de nomes que precisa ser submetido depende do tipo de sistema selecionado. Para sistemas planetários simples e múltiplos, o nome de cada planeta deve ser apresentado, bem como um nome para a estrela hospedeira. Na lista de 20 sistemas estelares, cinco estrelas já tem um nome definitivo. Consequentemente, essas cinco estrelas não podem ser colocadas para nomeação pública. Existem 15 estrelas e 32 planetas (47 objetos no total) disponíveis para nomeação. Compartilhe no Facebook
O nome provisório, curiosidades e história das vinte estrelas hospedeiras é explicado, junto com mensagens pessoais de alguns dos descobridores no site.

Para participar da competição, clubes e organizações sem fins lucrativos devem primeiro se registrar no Diretório Mundial de Astronomia da IAU. O prazo de entrega para esse registro foi prorrogado até às 23h59min UTC de 1 de junho de 2015. Vale lembrar que o horário citado, no horário de Brasília, corresponde às 20h59 do respectivo dia.
Os nomes propostos devem ser apresentados aqui. Toda submissão de nomeação tem que cumprir as convenções de nomenclatura da IAU e deve ser sustentada por uma argumentação detalhada para essa escolha. O prazo para a apresentação de propostas de nomeação é até às 23h59min UTC de 15 de junho de 2015. Novamente, no horário de Brasília: 20h59min do dia 15 de junho.