sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Science: Astronomia ocupa 3 das 10 maiores descobertas científicas da década

A primeira década do século 21 mudou completamente a forma de fazer ciência. Muito do que parecia ser impossível aconteceu, como o mapeamento completo do DNA de criaturas extintas há milhares de anos e a descoberta de centenas de planetas fora do Sistema Solar.
A "Science", uma das mais importantes revistas da área, escolheu os destaques do período. Biotecnologia e genética dominam a lista.
A astronomia ocupa três posições na lista. Além de avanços na precisão das medições no espaço, a década também foi marcada pela confirmação da existência de água no subsolo de Marte. O registro de planetas fora do Sistema Solar bateu recordes. Em 2000, havia 26 confirmados. Hoje, são 505.

(CONTINUA...)
Como maior destaque de 2010, a "Science" escolheu um invenção quase indecifrável: uma minúscula haste de metal, visível a olho nu, que obedece às regras da física quântica, antes só aplicáveis a objetos submicroscópicos, como átomos. Ela conseguiu vibrar rápido e devagar ao mesmo tempo, o que só é possível num cenário quântico.

A Astronomia na década:

Água em Marte:Missões espaciais encontraram evidências muito fortes de que houve água líquida no planeta vermelho bilhões de anos atrás. Mais recentemente, pesquisadores comprovarama existência de gelo enterrado no solo e até em grandes blocos;
Exoplanetas:A quantidade de planetas conhecidos fora do Sistema Solar disparou: passou de 26, em 2000, para os atuais 505. E os registros não param de acontecer, devido a vários avanços tecnológicos na astronomia;
Mais precisão na cosmologia:Vários experimentos mostraram melhor do que nunca o que está acontecendo no Universo. Algumas técnicas levarama resultados surpreendentes, como a comprovação de que o Cosmos é plano;
Fonte: Folha Online, G1 e Estadão.

Um comentário:

  1. Olá, Otávio!
    Essas descobertas já contabilizadas na casa das centenas e brevemente alcançando os milhares, é apenas o começo. A minha esperança, para um progresso vertiginoso e de aplicabilidade democrática, reside exatamente, no número de descobertas e crescimento de interesses, cada vez mais distantes da Terra. Pois aí, o ser humano notará, o quanto é pequeno no universo, então para garantir novas conquistas, terá de deixar de ser mesquinho e/ou perverso, optando por uma vivência duradoura e harmoniosa, sobre e longe da Terra.
    [1]!!!!!

    ResponderExcluir