sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Encontrado "petróleo" no espaço e gelo no planeta mais próximo do Sol

Órion tem moléculas de petróleo, e gelo em Mercúrio 


No dia em que a presidente Dilma vetará a lei que redistribuía os royalties de petróleo, fazendo justiça com os estados produtores, um grupo alemão anuncia a descoberta de uma molécula do petróleo no espaço. E como se não bastasse, a NASA também disse ter encontrado gelo e compostos orgânicos em Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol.

A descoberta de um dos constituintes do petróleo, publicada na conceituada revista Astronomy & Astrophysics, foi feita por um grupo alemão do Instituto Max Planck. Eles identificaram moléculas interestelares de C3H+ no centro da nebulosa Cabeça de Cavalo, que é visível da Terra na constelação de Órion (das Três Marias) e está a 1400 anos-luz de distância. O C3H+ integra a família dos hidrocarbonetos - partículas fundamentais na composição do petróleo e do gás natural. 
A nebulosa contém 200 vezes mais hidrocarbonetos do que a quantidade total de água na Terra e uma das explicações para os níveis “inesperadamente elevados” de hidrocarbonetos na nebulosa é a proximidade a uma estrela maciça, que brilha intensamente na região. 
O “petróleo espacial” surge da fragmentação de moléculas gigantes, os chamados PAHs (hidrocarbonos policíclicos aromáticos). Essas grandes partículas sofrem erosão com a radiação ultravioleta e se desintegram, criando uma grande quantidade de pequenos hidrocarbonetos.
A equipe fez um estudo químico completo da Nebulosa Cabeça do Cavalo, usando um radiotelescópio de 30 metros do Instituto de Radioastronomia Milimétrica, na Espanha. E esse novo estudo pode ajudar a entender se esse tipo de óleo é realmente um composto fóssil ou tem origem mineral. Leiam o comunicado de imprensa, aqui. Leiam o artigo científico, aqui e aqui.

ESO
Já a descoberta de gelo e compostos orgânicos em Mercúrio foi publicada pela Science e anunciada pela  NASA. A explicação para a existência de gelo e dos compostos no planeta mais próximo do Sol é que eles foram levados a milhões de anos por cometas e asteroides e estão protegidos dentro de crateras no polo norte do planeta. Em pesquisas da década de 1980 já havia indícios da  presença de gelo, mas quanto as substâncias orgânicas (semelhantes a piche ou carvão) foi uma surpresa. 
NASA
A ideia de presença orgânica em Mercúrio era tão remota que a sonda que a descobriu, a Messenger, não passou por todos os processos de esterilização de bactérias (como a Curiosity, em Marte).
A sonda Messenger foi a primeira a orbitar Mercúrio, desde março do ano passado, e emite feixes de laser, conta as partículas, mensura os raios-gama e recolhe outros dados remotamente, enquanto orbita o planeta.
A vida na Terra se baseia em compostos orgânicos, mas nem todos estes compostos - à base de carbono e oxigênio - estão necessariamente associados à vida. Os cientistas não acreditam que Mercúrio seja ou já tenha sido adequado à vida, mas a descoberta de compostos orgânicos em um planeta do Sistema Solar interior pode revelar como a vida começou na Terra, e como ela pode evoluir em outros planetas fora do Sistema Solar.


Fonte (com modificações):

Nenhum comentário:

Postar um comentário