terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Palestra na Campus Party discute viagem no tempo. Veja resumo

Afinal, é possível viajar no tempo?

O 1º dia do evento começou com ótimas palestrar, eu queria ter assistido quatro palestras ao mesmo tempo, mas por razões óbvias não pude rs... Então assisti a abertura do Palco Galileu (que aborda astronomia, robótica, hardware, etc) e a palestra inicial, sobre as viagens no tempo. Acompanhe o plantão na CPBr no Facebook e o especial aqui no Blog.

A abertura do Palco Galileu foi feita de manhã pelo Sergio Sancevero (autor do blog Cienctec e divulgador da astronomia), que logo depois deu a palavra para Dulcidio Braz (pioneiro no ensino da física moderna para jovens e autor do blog Física na Veia!), e então começou a ótima palestra intitulada "Viagens no Tempo".

Quer saber como foi a palestra? Abaixo um resumo, feito por mim, de como ela foi. Boa leitura :)

A palestra começou com uma pergunta: seria possível o feito do Super Homem, em um de seus filmes, quando ele deu voltas em sentido contrário ao da rotação da Terra para voltar no tempo e assim salvar seu grande amor da morte?


Depois Dulcidio começa apresentando os postulados da Relatividade Restrita e frisando que, no 1º postulado (de que as leis da física são as mesmas para todos, no mesmo referencial inercial), Einstein não 'bateu de frente' com a física conhecida. A prova é que esse postulado já era conhecido por Galileu, em 1600.

Já no 2º postulado (que diz que a velocidade da luz é constante, para todos os observadores) ele precisou afirmar que o éter (um meio que, supostamente, estaria presente em todo Universo) não existia.
Depois de provar matematicamente a teoria, a partir dos experimentos mentais (como o “Trem de Einstein”) fica fácil perceber o chamado Fator de Lorentz e afirmar que o tempo e o espaço são relativos! Mais especificamente; o tempo pode ser dilatado e o espaço comprimido!

Mas a palestra ficou boa quando ele começou a falar sobre o “Paradoxo dos Gêmeos”, que estuda o comportamento de dois irmãos gêmeos: um fica na Terra e o outro faz uma viagem espacial com uma velocidade próximo a da luz. Para o irmão viajante, o tempo vai ter passado mais lento (ex: para ele vão ter passado 6 anos); mas para o irmão que ficou aqui na Terra iriam ter se passado 10 anos. A conclusão é impressionante: o irmão que viajou próximo a velocidade da luz vai voltar aqui para Terra no futuro!! Ele além de fazer uma viagem pelo espaço em alta velocidade, viajou no tempo!
Essa teoria parece distante da nossa realidade mas os satélites americanos de GPS possuem uma correção temporal. Isso acontece porque eles viajam a uma velocidade alta (aproximadamente 4km/seg). Sem essa correção os serviços do GPS (que são muitos...) seriam inúteis, porque o tempo deles estaria no nosso futuro (o que acarretaria erros de posicionamento). Loucura mesmo...

Então, a tentativa do Super Homem de voltar no tempo viajando rapidamente em órbita da Terra (não importando o sentido) daria um resultado totalmente contrário: ao voltar à Terra, ele voltaria no futuro e não conseguiria salvar seu grande amor.

Depois disso, começamos a estudar a Relatividade Geral e a descoberta da dependência do espaço-tempo. Desde quando Einstein criou o Princípio da Equivalência até os buracos negros.
Num buraco negro o tempo passa mais devagar e esse seria uma outra forma de viajar no tempo, e através dos buracos de minhoca seria possível viajar por grandes distâncias em pouco tempo. Mas existe um problema: esses buracos de minhoca são altamente instáveis. É impressionante a pesquisa de um cientista da NASA (Dr. Harold “Sonny” White) quanto as chamadas dobras espaciais. Dobras espacias é uma forma hipotética de viagem espacial. A lógica é simples: se você quer ligar dois pontos numa folha, é mais fácil fazer isso dobrando a folha do que percorrendo a distância entre esses dois pontos. No Universo, a 'folha' seria o espaço-tempo e os 'pontos' seriam a Terra e outra galáxia, por exemplo. Ele pretende criar pequenas dobras (microscópicas) para pesquisas e depois (com avanço tecnológica estrondoso...), criar dobras maiores.

Concluindo, tanto a Relatividade Restrita quanto a Geral, nos provam que é possível viajar no tempo sim, mas só para o futuro. Mas fica uma pergunta: o Universo não teria um mecanismo inteligente para impedir isso? Afinal, seria um verdadeiro caos as pessoas viajando pelo tempo. E outra: por que não temos viajantes do tempo (vindo do passado) nos visitando?
Mas, e quanto a viajem para o passado? As teorias de Einstein não dizem, mas existem pesquisas (notavelmente, de Roy Kerr) sobre buracos negros rotacionais, na qual os corpos orbitantes poderiam viajar para o passado. Mas isso ainda são teorias que precisam ser provadas e estudadas.

Um comentário:

  1. NASA começa a trabalhar em uma versão real da dobra espacial de Star Trek:

    http://gizmodo.uol.com.br/nasa-comeca-a-trabalhar-em-uma-versao-real-da-dobra-espacial-de-star-trek

    ResponderExcluir